Slide site cultural de Feijó

LUMINAR - TUDO PARA SUA CONSTRUÇÃO

Neto Meireles - Formatação & Crimpagem

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Violência Contra a Mulher. Padastro bêbado. Filho defende a mãe: esfaqueamento após discussão

130216-policia-padrasto-cleriston
Discussão após chegar em casa bêbado
João Goncalves de Sousa, 34, foi vítima de tentativa de homicídio na noite desta sexta-feira (12). A vítima levou uma facada e foi socorrida pelo Samu e conduzida ao Pronto Socorro de Rio Branco.
Quem desferiu a facada em João de Souza foi o enteado dele. A informação foi dita pela mãe do rapaz, esposa de João.
Segundo ela, o marido teria chegado em casa embriagado e começou a discutir com ela e a quebrar os móveis da casa. O filho entrou na discussão. O jovem pegou uma faca e atacou o padrasto.
Segundo ela, não é a primeira vez que isso acontece. Toda vez que bebe, João de Souza tenta agredi-la e a quebrar os móveis da casa. Vizinhos contaram que a vítima já teria sido furada em outra vez pelo filho da mulher.
http://www.agazeta.net/policia/11680-enteado-tenta-mata-padrasto

Médica indígena realiza sonho da graduação para atender seu povo

Maria Gilda Yawanawá visitou Tião Viana e agradeceu todo o apoio que recebeu do governo - Foto: Gleilson Miranda
Ela tem apenas 26 anos de idade e pertence ao povo indígena Yawanawá, da Aldeia Nova Esperança, no alto Rio Gregório, em Tarauacá, e durante muito tempo teve um sonho: tornar-se médica para trabalhar na sua terra.
Graduada em medicina em Cuba, Maria Gilda Yawanawá visitou o governador Tião Viana nesta sexta-feira, 12, para agradecer o incentivo que recebeu do governo.
“Sempre tive em mente voltar para casa, para meu povo, e retribuir com meu trabalho toda a credibilidade que eles depositaram em mim”, declara a médica ao governador.
Acompanhada pelo cunhado Biracy Júnior Yawanawá, Gilda conta que o apoio da família também foi fundamental. Sendo a mais nova de seis filhos do casal Gildo Luís Yawanawá e Geraldina Luíza Yawanawá, ela conta que a família e seu povo foram esteios para o alcance da graduação.
“É muito bom saber que agora vou poder retribuir tudo isso. Foram sete anos de estudos, iniciados em 2008. Já realizei as duas etapas da prova do revalida, agora estou aguardando os resultados, que devem sair em março próximo”, conta a médica.
Para Biracy Júnior, a formação de Gilda representa uma grande conquista e uma geração de oportunidades que nasce para os povos indígenas do Acre.
“É muito bom manter nossa cultura e tradição, sabendo que ainda existem nossos pajés, que detêm o conhecimento tradicional também, e juntos poderão trabalhar essas duas formas de medicina em prol do povo”, observou Biracy Júnior.
Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Assembleia-geral do Sinteac não reúne pessoas suficientes e possível greve fica para março

A assembleia-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinteac) marcada para esta sexta-feira (12) reuniu um número mínimo de pessoas e foi adiada para o início de março. No evento seria discutida a proposta do governo para os trabalhadores em Educação, onde poderia retomar, para os próximos dias, a greve suspensa ano passado.
4ffde295-ef04-4917-993c-5de64c3eb8e4
A presidente do Sinteac, Rosana Nascimento, considerou o baixo número de participantes o fato de muitos trabalhadores ainda estarem em férias. Segundo ela, o sindicato está cumprindo o que ficou encaminhado com a categoria ano passado.
“Em virtude de não ter uma representatividade suficiente para deliberar, iremos seguir o encaminhamento do comando de greve para buscarmos avançar na negociação e fazer uma assembleia no início de março, quando as escolas já estarão funcionando”, disse.
Ela comentou ainda que a categoria irá debater a proposta que o governo ofereceu, que foi menos de 50% do pedido pelos trabalhadores.
“Mesmo assim estamos na expectativa de avançarmos na especificidade dos pisos dos funcionários de escola. Queremos negociar. Nos municípios já informaram que não aceitam 11% e os prazos são longos demais, somente para 2017”, comentou.
Segundo Rosana, 11% pago em dois anos é muito difícil para categoria, seria, em média, do ano de 2015 até 2018, uma ganho de R$ 180 reais. Ela classifica ser uma miséria para a categoria que vem sendo massacrada em ganhos e percentuais há muitos anos.
“Os aposentados estão desde 2011 sem reajuste nos salários. Vamos preparar a categoria para uma mobilização. Vamos escolher um melhor meio e concluir a greve que não foi concluída ano passado pelo fato de não de a nossa reivindicação não ter sido atendida”, disse.
http://www.ac24horas.com/2016/02/12/assembleia-geral-do-sinteac-nao-reune-pessoas-suficientes-e-possivel-greve-fica-para-o-inicio-de-marco/

Lei que multa quem proibir mãe de amamentar em público entra em vigor

Ela impõe pagamento de R$ 500 em caso de violação em SP.
Denúncias devem ser feitas às subprefeituras das regiões.

Do G1 São Paulo

Mulheres realizam mamaço no Museu da Imagem e do Som, em SP, na tarde deste domingo (16) (Foto: G1)Mulheres realizam mamaço no Museu da Imagem e do Som, em SP, em fevereiro de 2014 (Foto: G1)
A lei que prevê uma multa de R$ 500 a quem impedir a amamentação em público entrou em vigor nesta quarta-feira (14) em São Paulo. Em caso de reincidência, o valor dobra.
A medida, publicada no Diário Oficial de São Paulo nesta quarta, prevê a punição a quaisquer estabelecimentos "destinados a atividades comerciais, culturais, recreativas ou à prestação serviço público ou privado" que impedirem a mãe de amamentar o filho, dentro de suas instalações. O decreto ainda prevê multa dobrada "no caso de registro da mesma infração dentro do período de dois anos" desde a primeira ocorrência.
As denúncias devem ser feitas, de forma escrita ou oral, à subprefeitura da região, e não podem ser anônimas. Confirmadas as denúncias, o infrator deverá pagar ou apresentar defesa dentro de 15 dias. Cabe um único recurso, também em 15 dias.
O prefeito Fernando Haddad (PT) sancionou em abril a lei para garantir o aleitamento materno em qualquer estabelecimento de São Paulo. A lei detalha que o estabelecimento não precisa ter "área segregada" para amamentação.
"Todo estabelecimento localizado no Município de São Paulo deve permitir o aleitamento materno em seu interior, independentemente da existência de áreas segregadas para
tal fim. Para fins desta lei, estabelecimento é um local, que pode ser fechado ou aberto, destinado à atividade de comércio, cultural, recreativa ou prestação de serviço público ou privado", de acordo com o texto.

O projeto de lei é do vereador Aurélio Nomura (PSDB) e foi proposto após uma mãe ter sidoorientada a não amamentar seu filho em público no Sesc Belenzinho, na Zona Leste, em 2013. A proibição gerou grande repercussão na internet e mães realizaram amamentação coletiva ("mamaço") no Sesc.
Na ocasião, o Sesc Belenzinho pediu desculpas pelo ocorrido. A administração informou que uma funcionária nova teria indicado a sala de amamentação à mãe. Uma segunda funcionária presenciou o diálogo e corrigiu a orientação
.

Aluno de 16 anos da rede pública é aprovado em medicina na Unicamp

Jovem contou que estudava pelo menos 4h todos os dias em casa.
Curso foi o mais concorrido do vestibular 2016, segundo organização.

Roberta SteganhaDo G1 Campinas e Região
 Aluno de 16 anos é aprovado no vestibular de Medicina da Unicamp  (Foto: Mariah Matias/Arquivo Pessoal )Aluno de 16 anos é aprovado no vestibular de medicina da Unicamp (Foto: Mariah Matias/Arquivo Pessoal )
Um aluno de 16 anos da rede pública de Campinas (SP) foi aprovado em medicina na Unicamp. O curso foi o mais concorrido do vestibular 2016, de acordo com a Comvest, que é responsável pela organização do exame. Vítor Santana Costa contou ao G1 que esta foi a primeira vez que ele fez a prova e que ficou surpreso com o resultado.
"Foi a primeira que prestei Unicamp. Sempre foi meu foco. Eu prestei só Unicamp e Enem. Quando você presta várias, você não consegue focar. Eu não achei que ia passar. Eu fiquei chocado de passar porque todo mundo fala que é muito difícil, eu não achei tão difícil assim. Todo mundo fala que é um bicho de sete cabeças e eu não achei esse bicho ainda", afirma.
  •  
Eu não estudei só o que a escola passava, porque eu gosto de estudar. No terceiro ano, eu tive um professor que conseguiu uma bolsa pra mim num cursinho. Eu fiz junto o ensino médio, mais o cursinho, e estudei em casa. De manhã eu ia pra escola, a tarde ia para o cursinho e à noite estudava em casa até de madrugada"
Vítor Santana Costa, aprovado em medicina
Determinação
No entanto, chegar a esse resultado exigiu do jovem muita garra e determinação. Vítor morava na Bahia e veio para Campinas em 2013 para cursar o ensino médio. Além do período em sala de aula na escola estadual Professor Adalberto Prado e Silva, que fica na Vila Costa e Silva, ele conta que também estudava pelo menos quatro horas em casa.

"Eu sempre estudei em escola pública, só que eu sempre estudei em casa. Eu não estudei só o que a escola passava, porque eu gosto de estudar. No terceiro ano, eu tive um professor que conseguiu uma bolsa pra mim num cursinho em agosto. Eu fiz 3 meses de cursinho e 2 meses de revisão. Eu fiz junto o ensino médio, mais o cursinho, e estudei em casa. De manhã eu ia pra escola, a tarde ia para o cursinho e à noite estudava em casa até de madrugada", lembra.
Apoio da família
O jovem conta que o gosto pelo estudo veio do incentivo da tia, que é professora e cuida dele desde pequeno. "Os meus tios que me criam, porque minha mãe tem depressão. Quando era criança, ela me ensinou desde cedo a estudar, por isso que eu gosto. Ela que incentivou a estudar e quando eu entrei na escola pública eu sabia tudo da primeira série. Daí eu fiz uma prova, fui muito bem e passei pra segunda direto", destaca.

Vítor conta também que o tio sempre o incentivou muito e precisou fazer uma jornada dupla no trabalho para que ele pudesse estudar. "Nós não temos muito dinheiro. Então, o mais lógico seria eu trabalhar, mas o meu tio tem uma dupla jornada, tem dois empregos para que eu não precise trabalhar, só estudar. Ele pensou bastante no meu futuro. Eles me apoiam muito", ressalta.
Campus da Unicamp no distrito de Barão Geraldo, em Campinas (Foto: Fernando Pacífico / G1)
Campus da Unicamp, em Campinas, onde fica o
curso de medicina (Foto: Fernando Pacífico / G1).
Professores
O estudante ressalta também que os professores da escola estadual Adalberto Prado e Silva o ajudaram bastante para que essa conquista fosse possível.

"Meus professores acreditaram bastante em mim. Quando eu cheguei na escola, eu não era um aluno tão bom, mas eu sempre tive facilidade para aprender. Só que daí meus professores começaram a me incentivar e fui tirando notas melhores. Eu prestei as Olímpiadas de Matemática e fui medalha de prata. Eu passei também na UFSCar em enfermagem e ganhei uma bolsa integral para engenharia da computação", conta.
O professor de língua portuguesa Edison Cardoso Lins, que deu aula para Vitor quando ele cursava o terceiro ano do ensino médio na escola, conta que ele sempre foi um aluno determinado.
"Foi o aluno mais brilhante que passou ali. Eu fico um pouco emocionado quando eu falo dele. Juntamos professores e demos apoio a ele. Quando ele foi aprovado na primeira fase já foi uma grande conquista. O fato dele ter 16 anos, a história pessoal dele, tudo isso valoriza muito essa conquista. Isso mostra também que há alunos brilhantes na escola pública, ele é referência disso", destaca.
Neurologia
O jovem conta que no início sua ideia era fazer engenharia, mas mudou de opinião depois de fazer um curso de férias na própria Unicamp.

"Na verdade, eu queria ser engenheiro, só que eu ganhei um curso de férias na Unicamp, participei do Ciência e Arte nas Férias, aí eu conheci um pouco de cada área e não gostei muito da engenharia. Eu tenho muita facilidade com matemática, mas não gostei de engenharia, eu gostei de biologia humana, de medicina mesmo. Foi a parte que mais gostei", lembra.
Apesar de ainda estar se preparando para a matrícula, ele já faz planos e conta que decidiu a especialidade médica em que desejará atuar depois de formado. "Eu quero fazer neurologia, estudar o cérebro do ser humano. Eu gosto bastante de entender a complexidade do ser humano. Assim vou ajudar as pessoas e a minha família que sempre cuidou de mim", finaliza.
Escolas públicas
A Unicamp divulgou nesta sexta-feira (12) a lista de aprovados no vestibular 2016. Neste ano auniversidade atingiu 51,9% dos alunos oriundos de escolas públicas, ou 1.714. Este é o melhor resultado do programa social da Unicamp, no ano passado o número de alunos matriculados representou 30,2%.

Vestibular 2016 da Unicamp recebeu 77,7 mil inscrições (Foto: Fernando Pacífico / G1)Vestibular 2016 da Unicamp recebeu 77,7 mil inscrições (Foto: Fernando Pacífico / G1)

Secretaria municipal de educação realiza abertura do ano letivo e Secretaria anuncia aumento de salários paraos professores da rede municipal de ensino

Aconteceu na manhã desta sexta-feria, 12, na assembleia de Deus, a solenidade de abertura do ano letivo da rede municipal de ensino. Na ocasião a secretaria agradece a todos os professores e diretores pela os bons rendimentos escolares e os bons indices educacionais alcançados pelas as escolas da rede municipal de ensino e aproveito o ensejo para dizer a todos e diretores e professores presentes que o prefeito Merla, está negociando com o sindicato dos trabalhadores de educação, um aumento de salários para todos os servidores da educação de Feijó. 

Participaram do evento os vereadores Mauro e Manoel Leitão, PT, a secretaria municipal de educação, Misslane Cordeiro, a coordenadora do núcleo de educação de Feijó, a professora Cardocí Paiva, Diretores das escolas municipais e professores.   


De acordo com a presidenta do sindicato da educação de Feijó, professora Rosilene Melo, as negociações existem e estão bastante avançadas e tudo indica que até a data base que 1º de maio as negociações estarão concluídas e o aumento garantido.   

Suspeito de tentar assaltar mototaxista é espancado em Rio Branco

Caso aconteceu na noite de quinta-feira (11) na Via Chico Mendes.
Amigos teriam se revoltado e agradiram o suspeito, diz Polícia Militar. 

Do G1 AC
Suspeito teria tentado assaltar um mototaxista, segundo a Polícia Militar  (Foto: Reprodução)Suspeito teria tentado assaltar um mototaxista,
segundo a Polícia Militar (Foto: Reprodução)
Francimario Oliveira, 29 anos, suspeito de assaltar um mototaxista, foi linchado na noite desta quinta-feira (11) na Via Chico Mendes, em Rio Branco. De acordo com a polícia, outros mototaxistas conseguiram encontrar o suspeito, que foi linchado pelo grupo antes da chegada da Polícia Militar.
O suspeito teria sido pego pelos mototaxistas em uma área próxima onde ocorria uma blitz da Álcool Zero.
A equipe solicitou o apoio da Polícia Militar que levou  o suspeito para ao Hospital de Urgência e Emergência.
"Os colegas do mototaxista ficaram revoltados e pegaram o suspeito que por pouco não saiu mais ferido" relata o major Ezequiel Bino, comandante do batalhão que atendeu a ocorrência.
Após ser medicado no hospital, o suspeito foi encaminhado para a delegacia. Segundo as informações do boletim de ocorrência, o suspeito teria usado uma faca para ameaçar a vítima e foi encontrado com  a moto, dois celulares, a quantia de R$ 25, além do capacete.
Segundo o major, a atitude dos amigos da vítima não foi a correta. "Sabemos que há revolta, mas não é esse o melhor caminho. Não recomendamos a justiça com as próprias mãos", reforça.

'Estava sobrecarregado', diz pai de passageira de avião que caiu no AC

Pai de vítima diz que aeronave levava 7 pessoas, além de carga de alimentos.
Dono de avião nega sobrecarga e reafirma que avião levava 3 pessoas.

Tácita MunizDo G1 AC

De acordo com a família, a mulher teve o nariz e o maxilar quebrados  (Foto: Arquivo da família)De acordo com a família, a mulher teve o nariz e o
maxilar quebrados (Foto: Arquivo da família)
O avião bimotor que caiu em Manoel Urbano, no interior do Acre, na última quarta-feira (12), estaria com uma carga acima do permitido, que é de 2.073 quilos. A denúncia foi feita pelo pai de uma das passageiras, Luana de Lima, de 23 anos.
Raimundo Sampaio também desmente o que foi dito pelo dono do avião e pai do piloto, Mario Jorge, que informou ao G1 que haviam só três pessoas na aeronave. Segundo Sampaio, sete pessoas estavam no bimotor, quatro adultos e três crianças, além de carga de alimentos e tintas. A informação foi confirmada pelo hospital de Manoel Urbano.
Questionado pela reportagem, Mario Jorge continuou reafirmando que só três pessoas estavam na aeronave e negou que o avião estava sobrecarregado. "Como eu ia fazer isso se é meu filho que estava pilotando? Ia pôr a vida do meu filho em risco?", rebateu.
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) afirma que o bimotor tem capacidade para transportar até seis pessoas e tem limite de decolagem de 2.073 quilos.
Sampaio conta que a filha havia passado alguns dias em Manoel Urbano, na casa dos pais, e voltava para Santa Rosa do Purus no dia do acidente. Segundo ele, estavam no avião, a filha dele com os dois filhos, de 1 e 8 anos, uma garota com cerca de 9 anos, o piloto e mais dois adultos.
"Uma grande mentira que tinham apenas três pessoas. Eram sete e a minha filha foi a mais machucada. O avião estava superlotado e agora querem se defender, além de muita gente, tinha muita carga. O avião não aguentou decolar, era peso demais", denuncia.
Hospital confirma sete feridos em queda de avião
De acordo com a Unidade Mista de Manoel Urbano, sete pessoas deram entrada no hospital após a queda do avião. Segundo a unidade, tinham no avião, crianças, adolescente e adultos.

Os dados apontam que dois indígenas que estavam no avião e deram entrada no hospital não tiveram nenhuma gravidade. Era uma jovem de 17 anos e o filho de um ano. Eles tiveram alta na unidade de Manoel Urbano, os outros cinco foram para Rio Branco. Informaram ainda que não estavam em estado grave, só a mulher que fraturou o nariz e o maxilar.
Avião que caiu no interior do Acre pode ter sofrido uma pane, segundo o empresário  (Foto: Divulgação/PM)Avião que caiu no interior do Acre pode ter sofrido uma pane, segundo o empresário (Foto: Divulgação/PM)
O filho mais novo de Luana, que também estava no avião, não teve ferimentos, segundo o avô. Já o menino mais velho, de 8 anos, teve um ferimento profundo na cabeça e teve que pegar cerca de 15 pontos.
"Aqueles aviões são velhos e não têm manutenção nenhuma. De vez em quando dá problema. Quando encontrei meu neto de 1 ano, dava dó dele contando sobre o acidente, dizendo que a mãe dele tinha quebrado o rosto", relembra.
A família está se revezando em casa de parentes em Rio Branco para que Luana fique na capital até a cirurgia. De acordo com Sampaio, as crianças tiveram alta e passam bem.
Novamente em contato com a Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Aérea Brasileira (FAB), o G1 foi informado que uma equipe de Manaus já está na cidade onde ocorreu o acidente e que os levantamentos devem ser feitos ainda nesta quinta-feira (12). A perícia deve apontar o que ocasionou o acidente.
Entenda o caso
Um avião bimotor caiu por volta das 15 horas desta quarta-feira (10) no município de Manoel Urbano, distante 215 km de Rio Branco. O G1 conversou com o empresário Mario Jorge Matos da Cunha, de 59 anos, que é dono da aeronave e pai do piloto Maycon dos Santos Cunha, de 28 anos, e ele informou que o filho sofreu ferimentos na cabeça, mas não corre risco de morte.

A Unidade Mista de Manoel Urbano informou, nesta quinta-feira (12), que deram entrada no hospital sete pessoas que estavam dentro do avião.
Bimotor caiu minutos após decolar no interior do Acre  (Foto: Divulgação/PM)Bimotor caiu minutos após decolar no interior do Acre (Foto: Divulgação/PM)